E EIS QUE, TENDO DEUS DESCANSADO NO SÉTIMO DIA, OS POETAS CONTINUARAM A OBRA DO CRIADOR.
(MÁRIO QUINTANA)

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

TU ME QUIERES BLANCA





TU ME QUIERES BLANCA
Ligue o som, acima, e acompanhe este poema, um verdadeiro grito anti-machismo, na voz e jeito inconfundível de dizer, do insubstituível João Villaret


TU ME QUIERES BLANCA

Tu me quieres blanca
Me quieres de nácar ,
Me quieres de espumas.
Que sea azucena
Sobre todas, casta.

De perfume tenue.

E Corola cerrada


Ni un rayo de luna
Filtrada me haya.

E una margarita

Seria mi hermana.
Tú me quieres nívea,

Tú me quieres blanca,

Tú me quieres casta.


Tú! que hubiste todas

Las copas a mano,
De frutos y mieles
Los labios morados.
Tú que en el banquete
Cubierto de pámpanos
Dejaste las carnes
Festejando a Baco.

Tú que en los jardines

Negros del Engaño
Vesti
do de rojo
Corriste al Estrago.
Tú que el esqueleto

Conservas intacto

No sé todavía
Por cuáles milagros,
Me pretendes blanca
(Dios te lo perdone),
Me pretendes nívea
(Dios te lo perdone),
Me pretendes casta!


Huye hacia los bosques,

Vete a la montaña;
Límpiate la boca;

Duerme en las cabañas;

Toca con las manos

La tierra morada;
Alimenta el cuerpo
Con raíz amarga;
Bebe de las rocas;
Duerme sobre escarcha;
Renueva tejidos
Con salitre y agua;

Habla con los pájaros
Y lévate al alba.


Y cuando las carnes
Te sean tornadas,

Y cuando hayas puesto

En ellas el alma
Que por las alcobas
Se quedó enredada,

Entonces, buen hombre,
Preténdeme nívea,

Preténdeme blanca,

Preténdeme casta.


Alphonsina Storni

(29.05.1892 – 25.10.1938)

Filha de pais argentinos, nascida na Suíça, imigrou com os seus pais para a província de San Juan na Argentina em 1896. Em 1901, muda-se para Rosario, (Santa Fé), onde tem uma vida com muitas dificuldades financeiras. Trabalhou para o sustento da família como costureira, operária, atriz e professora.
Descobre-se portadora de câncer de mama em 1935. O suicídio de um amigo, o também escritor Horacio Quiroga, em 1937, abala-a profundamente.
Em 1938, três dias antes de se suicidar, envia de um hotel de Mar del Plata para um jornal, o soneto “Voy a Dormir”.
Consta que se suicidou andando para dentro do mar — o que foi poeticamente registrado na canção "Alfonsina y el mar", gravada por Mercedes Sosa; seu corpo foi resgatado do oceano no dia 25 de outubro de 1938. Alfonsina tinha 46 anos.
Escreveu poesia, ensaios, teatro e teatro infantil

21 comentários:

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Muito lindo! Bela escolha! Parabéns, querida! Gosto muito dos poemas da autora, mas este me era desconhecido. Muito obrigada!
Para ti!

O Sonho de Leila

É noite. Fiquei presa no castelo,

Só... Escuto o uivo lúgubre do vento,

Mesclado à reza triste do convento

E ao som de um esquecido Saltarelo.

Fixo o olhar nos mosaicos amarelos,

E vêm à tona antigos sentimentos,

O sono vai chegando em ondas, lento,

Fecho os olhos e tenho um sonho belo:

Havia essa princesa que dormia,

Mergulhada num sono secular

Qual Leila ou qual Bela Adormecida

Mas eis que surge o princípe encantado,

Que se põe aos seus pés a contemplar

O seu sonho, desejo, fantasia

De ser colhida, qual rosa, um dia;

Num afã, ele rouba a castelã,

Pousa-a perto da estrela da manhã,

Ama-a muito nas nuvens de brocados,

Depois, cobre-a com rosas de Ispaã...

Poema da Renata Cordeiro

Beijos*******
Até mais++++

Ana Martins disse...

Boa noite Mariazita,
simplesmente lindo, adorei!

Deixo um beijinho com votos de continuação de maravilhosas férias.

Ana Martins
Ave Sem Asas

Desnuda disse...

Mariazita,

que maravilha este poema e toda a história. Maravilhosa postagem, querida amiga. Obrigada.


Carinhoso beijo

Nilce disse...

ESPETACULAR!!!

Não conhecia essa autora.
Parabéns pelo post, Mariazita.
Adorei!

Bjs no coração!

Nilce

Chica disse...

Lindo, sensacional,Mariazita.

Muito bem escolhido,como sempre!

beijos,lindo dia!chica

Sonhadora disse...

Minha querida Mariazita
Partes para férias e fechaste com chave de ouro.
Adorei....maravilhoso.

Beijinhos e boas férias
Sonhadora

poetaeusou . . . disse...

*
e ouço,
ao longe a voz de Villaret
,
«Aqui ao leme sou mais do que eu:
Sou um povo que quer o mar que é teu;
E mais que o mostrengo, que me a alma teme
E roda nas trevas do fim do mundo,
Manda a vontade que me ata ao leme,
De El-Rei D. João Segundo!»
,
amiga
boas férias,
,
*

Adelaide disse...

Querida Mariazita,

A estas horas já deves estar em férias. Só hoje pude vir ao PC.

Aproveita bem as férias. É o que estou a fazer. Estou em Lagos com o meu neto Sebastião e até me sinto outra pessoa. Sem férias não dá. Depois falamos mais.
Beijinhos

Daniel Costa disse...

Mariazita

João Villaret declamava como ninguém mais teve tanta sensibilidade para o fazer, na na minha visão, que ainda acompanhei o seu programa dos Domingos à noite, a 2$00 a "bandeirada", no princípio da Televisão em Portugal, em que os velhos aparelhos eram raros.
Ouvi-lo para mim é sempre um enorme prazer.
Como, me é agradável ter acesso à biografia dos autores, neste caso da poetisa, que fazes questão de deixar.
Ópimas férias!
Beijos

Fernanda disse...

Querida amiga Mariazita!

Ainda não tinha cá vindo, tem razão!

Não conhecia este poema nem a sua autora.
Muito belo, como sempre fez uma belíssima escolha.
Villaret sim, quem o conheceu e ouviu alguma vez, jamais o esquecerá.
Ele é único na arte de declamar!
Soberbo!

Querida, ainda não li tudo de Saramago.
Curiosamente comprei Caim dois dias após o seu lançamento mas ainda não o li. Está aqui, ao meu lado, olho para ele todos os dias, mas estou a ler The Caged Virgin e a seguir quero continuar com a mesma autora, Ayaan Hirsi Ali, e o Infidel, para aí sim ler, bem nas calmas, o Caim e as restantes obras de Saramago.

Antes de andar tanto pela Blogosfera, lia muito mais...
muitíssimo mais!!!
Tenho que reconsiderar se vou ou não manter os laços com tantos Blogs.
Não me quero sentir aprisionada nem dependente!

Em termos de leitura, e devido ao facto de estar tão ligada à língua inglesa, adoro ler em inglês. A minha autora predilecta, a que eu realmente adoro ler, ao ponto de me esquecer de tudo, é a Joanne Harris.

Estava tentada a dizer-lhe que lesse, em tempo de férias, Anaïs Nin, mas de certeza que já leu!

Beijinhos e boas férias.
Eu vou passando por cá, tomo-lhe conta da casa :)

Pérola disse...

Nossa amada eu adorei.
Lindo demais,poeticamente falando é tuuuuudo de bom.
Um beijo grande minha amada linda.
Sua visita me encanta.
Beijokas.

Graça Pereira disse...

Mariazita
Escolha belissima do poema...escrito por alguem que tinha a alma em ferida... e dito pela voz inesquecível de João villaret...Oiro sobre azul, sem dúvida!
Beijo e bom fds~Graça

lis disse...

Vim deixar meu abraço e adorei o poema, nao conhcia.
feliz férias, hora de voltar ,nao? rs
abraços

Cida disse...

Gostei muito, amiga!

Obrigada por compartilhar conosco.

Sempre vale a viagem até seus blogs!...:)

Ótimas férias prá você, e volte repleta de novidades.
Estarei aguardando!

Beijão, e seja feliz

Cid@

Saozita disse...

Olá minha querida amiga, como vais? Espero que melhor, querida amiga peço que me desculpes não responder atempadamente, mas vieram uns dias de férias e para o marido não se queixar, tenho estado um pouco ausente!

Que lindo poema, adorei a força marcante das expressões colocadas nos versos, sobretudo a parte final, mais marcante!

A declamação de João Villaret é excepcional, poucos o fazem tão bem, com garra, como se vivenciasse o poema. Obrigado pela pela partilha amiga.

Deixo aqui o registo do último poema de Alphonsina Storni,
"Voy a Dormir".

"Voy a Dormir"
Dientes de flores, confía de rocío,
manos de hierbas, tú, nodriza fina,
tenme puestas las sábanas terrosas
y el edredón de musgos escardados.

Voy a dormir, nodriza mía, acuéstame.
Pónme una lámpara a la cabecera,
una constelación, la que te guste,
todas son buenas; bájala un poquito.

Déjame sola: oyes romper los brotes,
te acuna un pie celeste desde arriba
y un pájaro te traza unos compases
para que te olvides. Gracias... Ah, un encargo,
si él llama nuevamente por teléfono
le dices que no insista, que he salido...

Tem umas boas e lindas férias amiga.

Beijinhos com muita amizade

Sãozita

Barbara disse...

Desfrutei sim.
Obrigada e 1 abraço prá você.

Fernanda disse...

Mariazita querida!

Só passei hoje, bem podiam ter assaltado a casa;))))))))

Está tudo bem... excepto o tempo hoje aqui a Norte.
Nem deu para a minha sesta ao solinho;((((

Espero que tenha tido mais sorte do que eu...
Beijinhos!
Até ao seu regresso!!!!!

Na casa do Rau

Táxi Pluvioso disse...

Ó castas! onde estão elas? se já nem castos homens existem. good week

xistosa - (josé torres) disse...

Depois de todos os comentários o que me resta?
Que não conhecia.
Obrigada por este momento.

Uma boa semana.

Graça Pereira disse...

Passei para te deixar um beijo e votos de boa semana.~Graça

Graça Pereira disse...

Passei para te deixar um beijo e votos de boa semana.~Graça