E EIS QUE, TENDO DEUS DESCANSADO NO SÉTIMO DIA, OS POETAS CONTINUARAM A OBRA DO CRIADOR.
(MÁRIO QUINTANA)

quarta-feira, 14 de julho de 2010

CANTIGA DOS AIS

CONFIRME SE TEM O SOM LIGADO

Os ais de todos os dias
Os ais de todas as noites
Ais do fado e do folclore
O ai de ó ai ó linda
Os ais que vêm do peito
Ai pobre dele coitado
Que tão cedo se finou
Os ais que vêm da alma
Ais d'amor e de comédia
Ai pobre da rapariga
Que se deixou enganar
Ai a dor daquela mãe
Os ais que vêm do sexo
Os ais do prazer na cama
Os ais da pobre senhora
Agarrada ao travesseiro
Ai que saudades saudades
Os ais tão cheios de luto
Da viúva inconsolável
Ai pobre daquele velhinho
Ai que saudades menina
Ai a velhice é tão triste
Os ais do rico e do pobre
Ai o espinho da rosa
Os ais do António Nobre
Ais do peito e da poesia
Os ais doutras coisas mais
Ai a dor que tenho aqui
Ai o gajo também é
Ai a vida que tu levas
Ai tu não faças asneiras
Ai mulher, és o demónio
Ai que terrível tragédia
Ai a culpa é do António
Ai os ais de tanta gente
Ai que já é dia oito
Ai o que vai ser de nós
E os ais dos liriquistas
A chorar compreensão
Ai que vontade de rir
E os ais do D. Dinis
Ai Deus e u é
Triste de quem der um ai
Sem achar eco em ninguém
Os ais da vida e da morte
Ai os ais deste país!

Mendes de Carvalho

Armindo Mendes de Carvalho, nascido em Alcaíde, Beira Baixa, em 1927, e falecido em 1988, dividiu a sua obra literário entre a poesia, o teatro e a ficção.
Segundo David Mourão Ferreira, Mendes de Carvalho possuía um humor corrosivo que visava especialmente as instituições e determinados grupos sociais.
Do seu legado destacam-se obras como “Camaleões e Altifalantes” – 1963; “Cantigas de Amor e Maldizer” – 1966; Poemas de Ponta e Mola – 1975, entre muitas outras.


Mário Viegas (António Mário Lopes Pereira Viegas) nascido em Santarém a 10 de Novembro de 1948 e falecido em Lisboa a 1 de Abril de 1996, foi um actor e encenador português.
Foi reconhecido como um dos melhores actores da sua geração, chegando mesmo a receber um prémio como “Melhor actor”, em 1987.
Fundou três companhias de teatro; foi actor regular no cinema, tendo participado em mais de quinze filmes.
Fez também televisão, destacando-se em duas séries de programas sobre poesia.
Destacou-se, ainda, como declamador. Em minha opinião nesta sua faceta apenas foi suplantado pelo incomparável João Villaret, que considero o maior declamador de todos os tempos.

Mário Viegas
10.11.1948 – 01.04.1996

15 comentários:

Chica disse...

Que linda cantiga desses AIS das nossas vidas...

E são tantos, tantas ocasiõe e há que fique dia e noite apenas em meio aos seus AIS e não crescem...

beijos,tudo de bom,chica

Sonhadora disse...

Minha querida Mariazita
Um lindo poema...lembro-me de ouvir declamado pelo Mário Viegas.
Obrigada pelo carinho de sempre

Deixo um beijinho
Sonhadora

Fernanda disse...

Amiga Mizita!

Tinha uma ideia muito vaga de ter ouvido Mário Viegas declamar este poema.

O poema em si é muito peculiar. Há efectivamente todos esses ais e mais...
Gostei muito.
O nosso querido Mário Viegas era especial, incomparável.

Gostei muito.
Beijinhos

Ana Martins disse...

Boa noite Mariazita,
também tinha uma vaga ideia deste fantástico poema, foi bom poder recorda-lo.

Beijinhos,
Ana Martins
Ave Sem Asas

Saozita disse...

Olá minha querida amiguinha, Mariazita. Linda homenagem ao Mário Viegas,ao recordar aqui "Cantiga dos Ais" sem dúvida um grande actor e declamador. Concordo contigo, que era dos melhores.

Tem uma boa noite amiga.
Beijinhos

Táxi Pluvioso disse...

Bem... estive a rever as cassetes do arquitecto Taveira e por lá encontrei muitos ais. boa semana

Luis disse...

Minha Boa Amiga Mariazita,
Não me recordo de ter ouvido Mário Viegas dizendo este poema e tenho pena porque ele era fora de série nessa arte e o poema mercia ser dito por ele.
Não consegui ter som e por isso não tive a sorte de o ouvir.
Um beijinho amigo.

Luis disse...

Amiga Mariazita,
Agora ouvi e gostei imenso. Mário Viegas era mestre em dizer!Obrigado pela dica...
Um beijinho amigo.

Daniel Costa disse...

Mariazita

Desconhecia de todo o poema de Mendes de Carvalho e a sua intrepretação pelo grande declamador que foi Mário Viegas. Apreciel, como as nota biográficas que deixaste das respectivas figuras. Deixas sempre tudo completo, o que é de inaltecer, já que tudo é de interesse reter.
Beijos

poetaeusou . . . disse...

*
Ai, Ai . . .
como fazia o Mario,
imberbe, quando veraneava.
na Praia da Nazaré, a Praia
dos Ribatejanos !
,
conchinhas,
,
*

SAM disse...

Que maravilhaaaaa, amiga! Adorei conhecer, adorei esta apresentação linda que você fez. E adoro você também hahahahaahah. Obrigada, Mariazita. Estou sempre aprendendo e somando visitando os seus blogs. Sou faminta em conhecer e aprender e você sempre satisfaz esta minha fome rsrs.

* Hoje estou feliz! Recebi a visita dos meus 3 sobrinhos netos e conheci o mais novinho ( vai fazer 1 aninho) hoje pessoalmente porque moram na França e fiz tanta bagunça com os francesinhos! Hahahahaahah. Cansada mas muito feliz, amiga.


Beijos e lindo fim de semana.

AC disse...

Mariazita, grande momento!
Obrigado.

Beijos

Graça Pereira disse...

Minha Querida
Lembro-me de ouvir e ver na Tv este poema dito pelo grande Mário Viegas...e ai, que saudades já tinha de o recordar!!
Fabuloso!
Mil beijos para ti!
Graça

Tite disse...

Querida amiga,

Segui o teu conselho e cá vim ouvir o saudoso Mário Viegas.

Acho que o país está mesmo a gritar por ai por tudo e por nada mas acho que com muita razão.
Portanto... o autor teve razão Muito Antes de tempo. Se fosse hoje o poema seria muito Mais Longo.

Abraços

rouxinol de Bernardim disse...

Excelente cantiga e ainda bem que a trouxe! digna de antologia!