E EIS QUE, TENDO DEUS DESCANSADO NO SÉTIMO DIA, OS POETAS CONTINUARAM A OBRA DO CRIADOR.
(MÁRIO QUINTANA)

quarta-feira, 28 de julho de 2010

TERNURA

Há anos atrás, era eu uma jovenzinha, li, não sei onde, um poema de que gostei tanto que o decorei e não mais o esqueci. Mas desconhecia quem o tinha escrito.
Há dias, não sei porquê, esse poema veio-me à ideia. Resolvi investigar na Net e descobri o seu autor: Reinaldo Ferreira.
Partilho convosco este poema de que gosto imenso.


SEI QUE A TERNURA


Sei que a ternura
Não é coisa que se peça
E dar-se, não significa
Que alguém a queira ou mereça

Estas verdades
Que são do senso comum
Não me dão conformação
Nem sentimento nenhum
De haver força e dignidade
Na minha sabedoria

Eu preferia
Sinceramente preferia
Que, contra as leis recolhidas
No que ficou
Dos destroços de outras vidas,
Tu me desses
A ternura que te peço
Ou que, por fim,
Reparasses que a mereço.

Reinaldo Ferreira

(1922 – 1959)

Reinaldo Ferreira nasceu em Barcelona em 20 de Março de 1922 e faleceu em Moçambique em Junho de 1959.
Teve uma vida breve e pouco bafejada pela sorte. Iniciou os estudos secundários em Espanha, tendo-os concluído já em Moçambique, onde se fixou. Colaborou em algumas publicações da antiga Lourenço Marques (actual Maputo).
A sua poesia só ficou conhecida aquando da publicação póstuma dos seus “Poemas”, em 1960.
(Poemas, Imprensa Nacional de Moçambique, Lourenço Marques, 1960)
Em 1966 uma segunda edição teve prefácio de José Régio que, tal como Vitorino Nemésio, lhe teceu grandes elogios.
O seu legado como poeta é muito reduzido, não só porque a sua vida foi muito curta mas também porque o seu verdadeiro interesse era o teatro. Muito seria de esperar neste capítulo, mas para tanto lhe foi pouca a vida.

19 comentários:

Graça Pereira disse...

Reinalfo Ferreira embora.. tenha nascido em Barcelona...é para nós um poeta moçambicano...a sua morte deixou Lourenço Marques de luto...Dos seus poemas, este é dos meus preferidos... ainda bem que o trouxeste pois há muito que o não lia.
Beijo amigo
Graça

Ana Martins disse...

Boa noite Mariazita,
não me admira nada que tenha gostado, é lindíssimo e muito leve, sereno!

Beijinhos,
Ana Martins
Ave Sem Asas

António Gallobar disse...

Olá querida amiga

É sem duvida um belo poema, não conhecia de todo, muitos parabens, nesta vida estamos sempre a aprender nesta partilha de conhecimentos fantastica e que faz deste meio uma fonte de conhecimento inesgotavel.

Beijinho

Fernanda disse...

Mariazita, amiga!

Nem sonha como me fez bem ler este belíssimo poema... que ainda não conhecia!
Ternura é só aquilo que te peço!

Beijinhos

Desnuda disse...

Mariazita,

um lindo poema, realmente! E adorei conhecer não só o poema, mas sobre a breve vida do autor. Obrigada, querida.

Muitos beijos!

Maria João disse...

Minha amiga

Não conhecia o poema nem o poeta... isso só por si é motivo bastante para me sentir grata por o teres publicado.

Depois, um poema tão bonito que fala da ternura.... faz o resto no meu coração.

Beijinhos Mariazita
( Há tanto tempo que eu não vinha ao Lírios...)

Saozita disse...

Olá querida amiga Mariazita, não conhecia nem o poema, nem o autor.
Mas gostei imenso do poema, obrigado pela partilha.
Tem um lindo e feliz dia minha amiga.
Beijinhos

Táxi Pluvioso disse...

Epá isso é que é memória!! Eu nem me consigo lembrar do que fiz há 5 minutos. bfds

Barbara disse...

É atrativa a prática de lembrar, e de re-conhecer.

Chica disse...

Muito lindo e bem escolhido!De volta, aos poucos, chegando à rotina, um beijo e agora iniciando essa semana uma série de exames no Neno, por quem te peço que rezes,beijos,chica

In Cucina disse...

Mariazita, que linda e terna poesia!

Não conhecia esse poeta, hoje aprendi mais um pouco com sua postagem! Obrigada.

Beijos, brasileiros, Teresa

poetaeusou . . . disse...

*
o teu post
é um mar de ternura,
parabéns,
,
brisas serenas, deixo,
,
*

Lídia Borges disse...

Há poemas que nos marcam.
Este é, de facto uma "Ternura"

Um beijo

L.B.

Multiolhares disse...

Muito bonito na verdade, obrigada pela partilha
Bj

Chica disse...

Volto pra te agradecer o carinho e preces.Estamos recuperando o danadinho do neno.Foi diagnoasticada por causa da virose, uma desnutrição AGUDA na qual perdeu 10% do seu peso (isso é terrível)e nutrientes.Está em fase de convalescimento e apresentando melhoras.Obrigado!beijos,chica( tocando comida a toda hora pra ele,rsrss podes imaginar!!!)

Maria disse...

Lindissímo poema, excelente blog vou acompanhar com muito prazer.
bom fim de semana
njs
Maria

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo poema...Espectacular....
Cumprimentos

armalu disse...

Vim andando por aqui de pouiso em pouiso, e pousei no seu cantinho, que muito gostei, já te estou seguindo, e vou vir aqui muitas vezes, pois é óptimo andar por aqui. bj

BLOG DO PROFEX disse...

Mariazita, gostei do poema deste poema. Muito. Não conhecia o autor.
Escelente escolha. Bom fim de semana. Grande abraço!