E EIS QUE, TENDO DEUS DESCANSADO NO SÉTIMO DIA, OS POETAS CONTINUARAM A OBRA DO CRIADOR.
(MÁRIO QUINTANA)

quarta-feira, 21 de abril de 2010

CICLO DE POESIA ERÓTICO/SATÍRICA (V)

(Foto minha)
ESPARSA SUA AO DESCONCERTO DO MUNDO

(Poema satírico)

Luis Vaz de Camões

Os bons vi sempre passar
no mundo graves tormentos;
e, para mais me espantar,
os maus vi sempre nadar
em mar de contentamentos.

Cuidando alcançar assim
o bem tão mal ordenado,
fui mau; mas fui castigado.
Assim que só para mim
Anda o mundo consertado.
Luís Vaz de Camões nasceu em 1524 ou 25, provavelmente em Lisboa, filho de Simão Vaz de Camões e Ana de Sá.
Faleceu em 10 de Junho de 1580

9 comentários:

Desnuda disse...

Mariazita,

com certeza é uma questão que tira a metade do sono da gente hahahaha. É verdade. Mas nem por isso me animo a ser má. Melhor sofrer do que maltratar. Mesmo porque se todos nós que assistimos esta verdade(efêmera e ilusória)

"Os bons vi sempre passar
no mundo graves tormentos;
e, para mais me espantar,
os maus vi sempre nadar
em mar de contentamentos."

resolvessemos ser maus para termos a garantia de " nadar em contentamentos" é tudo muito .duvidoso por ser passageiro e sempre a querer mais e mais “contentamentos”, o mundo não seria consertado jamais! Ai de nós! Hahahahaah O mau que se castigue por si , por ser mau. Hahahahaaa Um dia a “ casa cai”! E aos bons , o sono dos justos.

Maravilha de poema!



Beijãooooooooo!

Sonhadora disse...

minha querida amiga
Lindo poema, do nosso poeta maior.

Deixo o meu carinho e um beijinho.

Sonhadora

Pérola disse...

Amor é fogo que arde sem se ver

Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer;

É um não querer mais que bem querer;
É solitário andar por entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É cuidar que se ganha em se perder;

É querer estar preso por vontade;
É servir a quem vence, o vencedor;
É ter com quem nos mata lealdade.

Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade,
Se tão contrário a si é o mesmo Amor?

Luís de Camões

Um poema q eu amo.
Beijokas

Maria João disse...

Minha amiga

Ficamos muitas vezes espantados, com a actualidade de muitos textos e poemas, escritos por ilustres e conceituados escritores e poetas de várias épocas, pensando na actualidade das suas palavras. Na verdade, o que escreveram reflete tão simplesmente a natureza Humana, no seu melhor e no seu pior e tal é transversal ao longo dos anos e séculos e independentemente do nível de desenvolvimento ou evolução de uma sociedade.
O nosso poeta Camões, diz neste poema aquilo que ainda hoje é uma verdade, sentida pela maioria de nós. Daqui a um século, embora com outras palavras, alguém escreverá o mesmo!

Um beijinho muito grande

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Muito Legal! Até ando desconcertada com este caminho do mundo, mas chego aqui e tomo prumo, porque os poemas que a minha querida publica alinhavam sem anestesia, descenessária, diria.
Beijos, querida!
***********
Minha amiga, que está com mal das costas, saiba que venho porque é você querida, porque pifei de novo. Mas como somossmos, eu venho sempre!
Obrigada pela gentileza da visita, meu Sol!
Teadoro*****************
Beijos e Bom feriado.




*******

És ao mesmo tempo o céu e o ninho.

Meu belo amigo, aqui no ninho,

o teu amor prende a alma

com mil cores,

cores e músicas.





Chega a manhã,

trazendo na mão a cesta de oiro,

com a grinalda da formosura,

para coroar a terra em silêncio!





Chega a noite pelas veredas não andadas

dos prados solitários,

já abandonados pelos rebanhos!

Traz, na sua bilha de oiro,

a fresca bebida da paz,

recolhida

no mar ocidental do descanso.





Mas onde o céu infinito se abre,

para que a alma possa voar,

reina a branca claridade imaculada.

Ali não há dia nem noite,

nem forma, nem cor,

nem sequer nunca, nunca,

uma palavra!

És ao mesmo tempo o céu e o ninho.
Rabindranath Tagore

Até!
+ beijos***************************************

Irene Moreira disse...

Tanto tempo já se passou e nos versos de Luis de Camões citava o que continua e é a verdade de hoje "os maus vi sempre nadar em mar de contentamentos".

Beijos

João Videira Santos disse...

"Esse" Camões...poeta imenso onde as palavras são hinos de objectividade...

Luis disse...

Querida Amiga Mariazita,
A poesia de Camões é sempre linda e tem o seu quê de futurologia pois ele retratou-nos tão bem que ainda hoje ele tem razão ao dizer que os maus vivem em mar de contentamento...
Um beijinho amigo.

Táxi Pluvioso disse...

Camões não se refere à nossa sociedade, onde os bons são recompensados e os maus punidos (nos filmes, pelo menos, bom, nalguns filmes). bfds