E EIS QUE, TENDO DEUS DESCANSADO NO SÉTIMO DIA, OS POETAS CONTINUARAM A OBRA DO CRIADOR.
(MÁRIO QUINTANA)

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

LÁGRIMA



Lágrima

Amália Rodrigues

Cheia de penas me deito
E com mais penas me levanto
Já me ficou no meu peito
O jeito de te querer tanto

Tenho por meu desespero
Dentro de mim o castigo
Eu digo que não te quero
E de noite sonho contigo

Se considero que um dia hei-de morrer
No desespero que tenho de te não ver
Estendo o meu xaile no chão
E deixo-me adormecer

Se eu soubesse que morrendo
Tu me havias de chorar
Por uma lágrima tua
Que alegria me deixaria matar


Amália Rodrigues
(1920-1999)

Comemora-se este ano o 10º.aniversário da morte de Amália Rodrigues, que ocorreu a 6 de Outubro de 1999.
Contava, à data, 79 anos de idade, já que nasceu em 1920, num dia de Julho que não se sabe ao certo qual foi.
Aquando da sua morte o então 1º.Ministro António Guterres decretou 3 dias de luto nacional.
Amália deixou uma imagem mítica jamais alcançada por qualquer outra personalidade.
Foi considerada a “Rainha do Fado”; e porque este género musical está intimamente associado à cultura portuguesa, devido às suas actuações num infindável número de países



foi também considerada uma das melhores embaixadoras no mundo.
Para a sua excepcional voz escreveram alguns dos maiores poetas e letristas seus contemporâneos, como David Mourão Ferreira, Pedro Homem de Mello e outros.
Amália gostava de “fazer versos” – como ela dizia - que só os amigos mais íntimos conheciam.
Constitui excepção o poema “Lágrima”, que ela própria cantou e o guitarrista Carlos Gonçalves musicou.

Eis o vídeo em que Amália canta o fado “Lágrima”.


Amália Rodrigues - Lágrima

12 comentários:

Maria João disse...

Amiga

Ás vezes há coincidências engraçadas. Também eu, faço hoje referência a Amália, embora por motivos diferentes.
Lindo este fado... como quase todos a que Amália deu voz.

Um beijinho com carinho e uma boa noite... o tal que nos guarda, já foi para aí :-)

Paula Raposo disse...

Embora não a aprecie, acho que sim, uma embaixadora de Portugal através da sua voz.
Beijos para ti.

Sonia Schmorantz disse...

Amei este texto sobre Amália, sobre a qual quase nada sei. Gostei muito também deste visual do teu espaço!
beijos

Desnuda disse...

Que maravilha! Amália Rodrigues! Obrigada, Mariazita. Adoro Amália Rodrigues, desde muito nova. E gostei muito deste post dedicado. Fez um marco ao cantar poemas de consagrados autores portugueses. E o xale!Fascinava a todos, Amália.



Muitos beijos, amiga!

Ana Martins disse...

Bonita homenagem a Amália, a Rainha do Fado permanecerá viva no coração dos Portugueses.

Beijinhos,
Ana Martins

Papagaio Mudo disse...

muito bonito!

abç


Gustavo

Carlos Albuquerque disse...

Como não gostar de Amália? A sua voz de ouro, o sentimento, a chama interior com que cantava...
Sem Amália a guitarra portuguesa e a viola ficaram orfãs.
Dizer mais será cair no lugar-comum...
--
Estou aqui também para te agradecer a visita ao meu blog e o comentário deixado, que me sensibilizou. Vamo-nos encontrando.
BJS e um abraço

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá, bela homenagem a Amália Rodrigues...Espectacular....
Beijos

Ana Martins disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria João disse...

Amiguinha

Tem prémio para ti em:

Mimos&Selos
http://mimoseselos.blogspot.com/

Gentileza gera Gentileza.... sabias??

Beijocas

São disse...

Amália , uma pessoa complexa, com uma voz incrível.

Beijinhos.

xistosa - (josé torres) disse...

Tive a "honra" de a ouvir cantar num jantar em casa do cunhado dela (eng. Roseiro).
Irmão do primeiro marido ... isto passou-se em Castelo Branco, talvez há mais de meio século.
Lembro-me de que quando cantava, até sentia o soalho ( a casa não possuía placa de betão, eram traves de madeira e tábuas) estremecer.
Talvez por isso sempre a admirei, porque o timbre que ela imprimia, ficou-me cá dentro.
(Não sei se sabe que gostava de beber vinho do Porto e ela dizia, que se não bebia, não conseguia cantar)

Uma boa semana.