E EIS QUE, TENDO DEUS DESCANSADO NO SÉTIMO DIA, OS POETAS CONTINUARAM A OBRA DO CRIADOR.
(MÁRIO QUINTANA)

quarta-feira, 10 de março de 2010

CICLO DE POESIA ERÓTICO/SATÍRICA (II)

DELÍRIO
(Poema erótico)
Nua, mas para o amor não cabe o pejo
Na minha a sua boca eu comprimia.
E, em frémitos carnais, ela dizia:
– Mais abaixo, meu bem, quero o teu beijo!

Na inconsciência bruta do meu desejo
Fremente, a minha boca obedecia,
E os seus seios, tão rígidos mordia,
Fazendo-a arrepiar em doce arpejo.

Em suspiros de gozos infinitos
Disse-me ela, ainda quase em grito:
– Mais abaixo, meu bem! – num frenesi.

No seu ventre pousei a minha boca,
– Mais abaixo, meu bem! – disse ela, louca,
Moralistas, perdoai! Obedeci....

Olavo Bilac


Olavo Brás Martins dos Guimarães Bilac nasceu em 16 de Dezembro de 1865 no Rio de Janeiro, onde faleceu em 28 de Dezembro de 1918.
Foi jornalista e poeta e membro fundador da Academia Brasileira de Letras.

18 comentários:

xistosa - (josé torres) disse...

O amor total presta-se a tudo.
Até a um belíssimo poema.

Cumprimentos.

Maria João disse...

O amor, desejado... consumado. O amor desnudado na mais profunda intimidade.
Bonito, muito bonito!

Beijinhos,minha amiga

Canduxa disse...

O amor erótico muito bem cantado neste belo poema.
Encantador.

meus beijinhos para a manita querida

Sonhadora disse...

Minha querida
que lindo e sensual poema.
Erotismo á solta...adorei.

Beijinhos

Ana Martins disse...

Amiga Mariazita,
penso que já sabe que os sonetos são o género de poesia que mais aprecio. Este é de uma belza ímpar, é encantador. O poeta escreveu o amor na sua mais profunda intimidade e sem qualquer tipo de pudor.
Lindo e sensual!

Beijinhos,
Ana Martins

JADY*ALVES disse...

Mariazita amiga querida!
E tem coisa mais bela que as carícias do amor?
Com certeza não, amor é sempre bommmm.
Salve Bilac!
Abraços e carinhos da Jady

Alvaro Oliveira disse...

Amiga Mariazita

Um belo poema, neste ciclo de poesia erótica/satírica.

Beijos

Alvaro

Táxi Pluvioso disse...

Mais abaixo? ó diabo, será no joelho? de Claire como em Eric Rohmer? :-) bom domingo

Luis disse...

Querida Amiga Mariazita,
Belo poema e muito sensual. Amor completo e sem pruridos!Desculpa-se o autor por tal facto.
Um beijinho amigo e um Domingo descansado.

Tétis disse...

Olá Mariazita

Muito bonito e cheio de sensualidade e erotismo este poema de Olavo Bilac. Não o conhecia.

Este ciclo está a ser muito bom. Parabéns pela iniciativa e originalidade.

Beijinhos

Irene Moreira disse...

Magnífica... quanta paixão e que forma tão sutil de Olavo Bilac em colocar as suas palavras.

Beijos

Pérola disse...

Lindo poema.
A magnitude das palavras embelezam os sentimentos.
Parabéns.
Um beijo grande.

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá, belo e sensual poema...Espectacular....
Beijos

poetaeusou . . . disse...

*
Olavo Bilac . . . pois !
,
conchinhas,
,
*

EDUARDO POISL disse...

Lindíssimo poema!!!

"O que as vitórias têm de mau é que não são definitivas. O que as derrotas têm de bom é que também não são definitivas."
José Saramago

Obrigado pela amável visita.
Abraços com carinho

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Lindo! Amor é amor! Sem essa de falso pudor**********************
Amei*****************************
Beijokas*******************
Mariazita!
********

Aceitarás o amor como eu o encaro ?...
...Azul bem leve, um nimbo, suavemente
Guarda-te a imagem, como um anteparo
Contra estes móveis de banal presente.

Tudo o que há de melhor e de mais raro
Vive em teu corpo nu de adolescente,
A perna assim jogada e o braço, o claro
Olhar preso no meu, perdidamente.

Não exijas mais nada.
Não desejo também mais nada,
só te olhar, enquanto a realidade é simples,
e isto apenas.

Que grandeza... a evasão total do pejo
Que nasce das imperfeições.
O encanto que nasce das adorações serenas.

Mário de Andrade
*********
Aceitarás, querida?!!
Kiss, kiss*

DE-PROPOSITO disse...

O mundo da poesia é incomensurável. E, aparentemente, a poesia erótica é a menos divulgada, o que não significa que possua menos beleza.
------------
Que a felicidade ande por aí.
Manuel

Multiolhares disse...

Será que nos moralistas perdoaram, ou releram este erótico poema mais uma vez
beijitos