E EIS QUE, TENDO DEUS DESCANSADO NO SÉTIMO DIA, OS POETAS CONTINUARAM A OBRA DO CRIADOR.
(MÁRIO QUINTANA)

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

ILUSÕES DO AMANHÃ

ILUSÕES DO AMANHÃ

'Por que eu vivo procurando um motivo de viver,
Se a vida às vezes parece de mim esquecer?

Procuro em todas, mas todas não são você.
Eu quero apenas viver, se não for para mim, que seja p’ra você.

Mas às vezes você parece me ignorar,
Sem nem ao menos me olhar,
Me machucando p’ra valer.
Atrás dos meus sonhos eu vou correr...

Eu vou me achar, p’ra mais tarde em você me perder.
Se a vida dá presente p’ra cada um, o meu, cadê?
Será que esse mundo tem jeito?
Esse mundo cheio de preconceito.

Quando estou só, preso na minha solidão,
Juntando pedaços de mim que caiam ao chão,
Juro que às vezes nem ao menos sei, quem sou.

Talvez eu seja um tolo, que acredita num sonho.
Na procura de te esquecer, eu fiz brotar a flor.
Para carregar junto ao peito,
E crer que esse mundo ainda tem jeito.
E como príncipe sonhador...
Sou um tolo que acredita, ainda, no amor.'
PRÍNCIPE POETA
(Alexandre Lemos - APAE)


Recebi, com pedido de divulgação, de um amigo brasileiro.

Este poema foi escrito por um aluno da APAE, chamado, pela sociedade, de “excepcional”…
Excepcional é a sua sensibilidade!
Ele tem 28 anos, com idade mental de 15.
Eu peço que divulguem, para prestigiá-lo. Se uma pessoa assim acredita tanto no amor, porquê as pessoas que se dizem normais se fazem de indiferentes?

OBS.
Porque acho de toda a justiça fazê-lo, resolvi publicá-lo aqui, iniciando (ou continuando, assim) uma corrente de solidariedade para com a APAE.

E porque haverá muitas pessoas, principalmente entre os portugueses, que desconhecem o que seja a APAE (eu desconhecia o significado da sigla), veja a informação que consegui colher:

Quando nasceu era:
Associação Paulista de Amparo ao Excepicional

Hoje é
Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais

Mas, sempre , sempre mesmo, foi uma instituição muito séria e dedicada ao axilio do excepcional

Um grande trabalho. Uma grande obra, com objetivos definidos e nobres e honestos ao extremo.

Se puderem ajudem e tenham a mais absoluta certeza de estarem contribuindo para uma obra séria, composta por gente dedicada que não mede esforços para atingir o seu objetivo de
ajudar, ajudar, ajudar até o esgotamento físico e mental.

APAE uma obra cristã. Um orgulho nacional VIVA A APAE

Obs. ( não é só com dinheiro que se ajuda a obras desse tipo, pois eles necessitam de gente, de idéias, de dedicação, de um envolvimento popular, de nossa simpatia e adesão.)

11 comentários:

Paula Raposo disse...

O poema é fantástico e emociona a sua leitura. Obrigada pela parilha. Beijos.

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDA AMIGA, BELÍSSIMO POEMA... EMOCIONEI-ME!!!
OBRIGADA QUERIDA AMIGA, PELA DIVULGAÇÃO... UM BOM FIM DE SEMANA... BEIJINHOS DE CARINHO E TERNURA,
FERNAMDINHA

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Líria...belo poema...Espectacular...
Beijos

Multiolhares disse...

Um poema vivido e sentido, tenho dificuldade em entender porque nós “ditos humanos” somos tão desumanos com os nossos semelhantes, porque julgamos ser superiores se temos tantas fragilidades escondidas, temo-las mas não as mostramos, no fundo somos todos iguais e todos diferentes só temos de nos aceitar como somos e protegermos quem de nós precisa mas sem sentir pena, pois cada um de nós tem sempre algo de importante para dar
beijinhos

Ana Martins disse...

Querida amiga Mariazita,
simplesmente ADOREI o poema, vou sim ajudar a divulgá-lo porque acho muito justo fazê-lo. Publicá-lo-ei amanhã em meu blogue com os devidos créditos.

Beijinhos,
Ana Martins

Sonia Schmorantz disse...

Lindo poema, o poeta soube bem expressar seus sentimentos.
Um abraço

Daniel Costa disse...

Mariazita

Sabes? Achei o poema excepcional, de um poeta maduro.
Depois li, mais informações e fiquei, digamos, meio atónito, porque sendo habituado a ler bastantes modos de redigir, os textos.
custumam dizer algo sobre quem escreveu.
Por vezes, engano-me e esta vez, terá sido uma das raras.
Parabéns ao Alexandre Lemos que escreveu, a ti, que divulgas o belo poema e a APAE, Associção que também é de enaltecer.
Beijos,
Daniel

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

O AMOR
Amo o amor que se reparte
em beijos, leito e pão.
Amor que pode ser eterno
mas pode ser fugaz.
Amor que se quer liberar
para seguir amando.
Amor divinizado que vem vindo
Amor divinizado que se vai.

Pablo Neruda

Passei para desejar-lhe um final de semana cheio de amor e felicidade.
Abraços

Giselle disse...

Mariazita,
a APAE é excepcional, minha mãe foi voluntária da Apae durante 10 anos, convivi com esse seres iluminados durante muito tempo ...
De excepcionais não tem nada, pelo contrários são espetaculares, cada coisa que eles nos dizem, cada jeito que nos olham tocam no fundo, na alma ...
Minha m~e tem uma afilhada excepcional, e de fato ela tem 18, mas mentalidade de mneina de 9 anos, mas uma doçura ...
Consideramos raça de terceira geração, ela vêm para nos ensinar, vêm para nos mostrar que é simples amar, se dedicar, se doar ...
Nada é complicado, tudo muito simples, nos surpreendem com a força, garra e vontade ...
A Apae é uma be´lissima instituição aqui no Brasil, e tem em todas as cidades, das menores as maiores, elas dão assistência não só a criança, mas a família também.
Ampara a todos ...
Lindo texto, amei ...
Beijo enorme e lindo fim de semana

O Profeta disse...

CONVITE

Porque as palavras são tantas, imensas, são ternura o afago, cruéis ou vil loucura. Quando ditas não voltam à boca.

Convido-te a partilhar “ALQUIMIA DAS PALAVRAS” no lançamento do livro com o mesmo nome da autoria de Armando Moreira, que terá lugar no dia 24 de Janeiro de 2009 pelas 21 horas e 30 minutos no Coliseu Micaelense.

O livro será aberto e do seu interior irão brotar canções, histórias e teatrices numa noite em que o feitiço estará presente e será servido por actores, cantores e poetas com a magia da Palavra…


Mágico beijo

manzas disse...

Interessante blogue,
Gostei e voltarei...

Sem nada saber
Sem nada dizer
Sem nada falar…
É um simples ser
Que expõem o seu pensar
Proferindo a frase certa…
Ao descrever o seu ver
Distingue-se ao escrever
Como um louco poeta

O abraço…